terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Partido Republicano Brasileiro - Site Oficial

Ser republicano é ser leal ao País

Partido Republicano Brasileiro - Site Oficial

O deputado federal Cleber Verde (PRB-MA) concedeu uma entrevista em que fala sobre o que é ser republicano, a criação de cota para produção de alimentos e biodiesel, bem como a preservação do meio ambiente. De acordo com o parlamentar, é possível o País criar e oferecer condições para que se dê prioridade tanto à busca por um combustível alternativo, como também a continuar sendo um dos maiores produtores de alimentos do planeta, contribuindo no consumo interno e na exportação de alimentos para o mundo.
Confira a entrevista na íntegra:

Partido Republicano Brasileiro – O PRB tem como base o republicanismo. O que significa ser um republicano para o senhor?

Cleber Verde – Ser republicano é ser leal ao País, é ter responsabilidade social, trabalhar para o fortalecimento do nosso País. O fortalecimento de uma política nacional, de nossas estruturas econômicas, no sentido de nos amparar, de condições para desenvolver tanto o País economicamente, como as pessoas, através da educação e de oportunidades. É isso o que queremos: que tenhamos, acima de tudo, um povo mais consciente, um povo mais fortalecido e, principalmente, um país com a pujança necessária de estar entre as nações mais desenvolvidas do mundo.

PRB – Há um projeto de Lei de sua autoria que fala sobre a criação de cota para a produção de alimentos e de biodiesel. O Projeto de Lei 3508/08 obriga o produtor rural a plantar um hectare de alimentos para cada hectare que cultivar com lavouras destinadas à produção de biodiesel. Qual a importância desse projeto?

Cleber Verde – Nós entendemos que vivemos em um país continental, um país enorme com condições climáticas favoráveis tanto para a agricultura quanto para a busca de novas fontes de energia. Neste momento, o país desenvolve ações no sentido de fortalecer e ampliar cada vez mais o combustível do biodiesel. Entendemos que isso pode, de alguma maneira, contrapor-se à produção de alimentos. Por isso, apresentei esse projeto que determina que para cada produção desenvolvida do biodiesel tenhamos uma produção paralela de alimentos, a fim de que as pessoas não estejam voltadas simplesmente para a questão econômica, mas trabalhem única e exclusivamente o biodiesel. Compreendemos que é possível o País criar e oferecer condições para que tanto se dê prioridade para a busca de um combustível alternativo quanto também para continuarmos sendo um dos maiores produtores de alimentos do planeta e, assim, ajudarmos o nosso consumo interno e a exportação de alimentos para o mundo. Portanto, a representação desse projeto possibilita a exigência de que, para cada área plantada do biodiesel, tenhamos, na mesma forma e na mesma medida, a produção de alimentos para não prejudicar o nosso consumo interno e provocar o desabastecimento mundial, que hoje é colocado como risco.

PRB – Em 2005, o presidente Luís Inácio Lula da Silva inaugurou a Usina de Biodiesel na Cidade de Floriano, Estado do Piauí, a maior usina de transesterificação da mamona do Nordeste. De que maneira se deve incentivar o pequeno produtor à produção de mamona?

Cleber Verde – O Piauí é um estado vizinho ao nosso, que é o Maranhão. Você percebe que as pessoas são muito voltadas à produção de girassol, de mamona, de todos aqueles ingredientes possíveis para a aplicação do biodiesel. Com isso, acabam deixando de lado a produção de alimentos e, por isso, nós exigimos, através da nossa proposta, que para cada determinada área plantada de mamona, por exemplo, ele possa de forma alternativa separar um hectare para plantar o arroz, o milho, a soja ou aquilo que é possível para o abastecimento da horta, da produção local.
No mesmo sentido, apresentei uma proposta de emenda constitucional (PEC), que está em estágio avançado de aprovação, que é a criação de um Fundo Especial para a Agricultura. Essa proposta prevê o que o governo já faz hoje pela educação, ou seja, ele pega recursos da União e aloca para os municípios, para ser investido na educação. Da mesma forma, nós queremos que o governo reserve um percentual da sua arrecadação e destine aos municípios brasileiros um percentual para o investimento da agricultura, ou seja, o Fundo Especial de Agricultura. Isso deve ajudar na descentralização de recursos para os municípios. Aplicar esses recursos na sua localidade, investir no pequeno, médio e grande produtor rural, dando técnicas e instrumentação agrícola, para fortalecer cada vez mais a agricultura.

PRB – Em novembro do ano passado, aconteceu o II Simpósio da Amazônia: O Desafio do Modelo de Desenvolvimento na Câmara dos Deputados. A cobertura vegetal do Estado do Maranhão é constituída pela floresta tropical e por campos periodicamente inundáveis, sendo denominada pré-amazônica. O Maranhão está realizando algum trabalho referente à preservação do meio ambiente?

Cleber Verde – O Maranhão está inserido na Amazônia Legal. É um estado interessante porque faz parte tanto da Região Norte quanto da Região Nordeste e, por isso, requer um investimento maior do governo federal no sentido de dar condições ao Maranhão para primeiro se desenvolver e segundo criar condições de proteção ambiental. No mundo, hoje, é bastante discutida a questão da devastação das florestas, a mudança do clima em função da grande poluição e, principalmente, pela falta de atenção que damos ao meio ambiente. Então, o Maranhão começa a acordar para esse processo. Temos hoje uma Secretaria de Estado do Meio Ambiente bastante atenta aos desmatamentos, à proteção dos biomas existentes em nosso estado e, principalmente, à preservação ambiental, evitando, por exemplo, que haja desmatamento agressivo. Entendemos que esse somatório de medidas, ações, compartilhamento e decisões, pode levar nosso estado a ser um estado também desenvolvido, mas que automaticamente protege o meio ambiente. O Maranhão se preocupa com isso sim e temos orgulho de termos um pedacinho do nosso estado inserido no pulmão do Brasil, que é a Amazônia, o ‘Pulmão do mundo’.

Jaquelina Nascimento é jornalista


Um comentário:

  1. Paulo Cesar Coelho dos Passos4 de setembro de 2009 20:25

    fui cadidato pelo PRB mas infelismente não tive apoio do partido na ultima eleição nos perdemos a oportunidade de ter um veriador eleito em uma das cidades mais importante do MaraNHÃO QUE É Barra do Corda com isso deixamos de fortalece este Grande Partido que ter como lider O Srº José Alencar vice Presidente da República que é exemplo para todos nos Brasileiros homem de garra.

    ResponderExcluir

Suas sugestões e opiniões são muito bem vindas! Dê exemplo de cidadania, participe!